Consultório Seminário: Av. Nossa Sra Aparecida,661 | (41) 3057-9443 Clínica 24h: R. Rockefeller, 566 | (41) 3333-7226
Emergência 24h (41) 3044-9301
Você sabe o que é coccidiose?
3 de outubro de 2018

O número de casos de coccidiose é cada vez maior. Mas, você conhece essa doença?

Seu animal de estimação apresenta episódios constantes de vômito e diarreia? Saiba que isso pode ser coccidiose. Essa doença é causada por parasitas que habitam o intestino delgado de cães e gatos.

A principal forma de transmissão desse parasita é pelo contato com o material fecal. Os ovos de coccídeos estão presentes nas fezes do animal e ficam contaminadas de formas diversas.

Os filhotes estão mais propensos a sofrer com esse tipo de infecção, pois o seu sistema imunológico é mais fraco do que de um adulto.

Coccidiose: entenda os sintomas

Vômitos e diarreia são as principais causas da doença, principalmente se houver sangue nas fezes. Em estágio avançado, o animal pode apresentar perda de peso considerável, assim como desidratação e falta de apetite.

Em cães e gatos adultos, os sintomas não são tão evidentes. Esses animais podem conviver com o parasita interno sem apresentar sintomas. Por isso, é necessário prestar atenção em qualquer possível alteração no comportamento do animal.

Como diagnosticar a doença?

Os ovos do coccídeos demoram até uma semana para amadurecer, até serem depositados nas fezes. Se passar muito mais desse tempo, aumentam os riscos de infecção.

Apesar de serem invisíveis a olho nu, é possível detectar os parasitas coccídeos através de um exame de fezes, que deve ser realizado tanto nos cães quanto nos gatos que apresentarem algum tipo de mudança fisiológica.

Caso você tenha adotado o seu animal de um abrigo de animais, recomenda-se fazer uma análise regular das fezes mesmo que ele não apresente nenhum sintoma, pois o convívio com vários animais pode facilitar o contágio.

Como prevenir?

As fezes é a principal forma de contágio da coccidiose. Por isso, é essencial evitar o contato direto com elas. Se houver o contato com a boca do animal, mesmo que em pouca quantidade, será o suficiente para que ele seja infectado.

Portanto, é essencial limpar frequentemente o local onde os animais brincam, descansam e fazem suas necessidades. É necessário também limpar todos os brinquedos do animal, pois é bem provável que eles entrem em contato com as fezes sem que o animal perceba.

Para fortalecer o sistema imunológico dos bichos, a alimentação adequada é essencial. Por isso, desde filhote, utilizar a alimentação correta de acordo com o tipo físico do pet e sua idade poderá ser uma forma de prevenir a coccidiose.

A utilização de antiparasitas também pode servir como método preventivo. Porém, é preciso consultar o veterinário para que a medicação correta seja aprovada.

O que fazer em caso de suspeita de coccidiose?

O primeiro passo para curar essa e outras doenças é levar o animal ao veterinário. Em uma consulta, o médico poderá diagnosticar melhor o problema e proporcionar uma solução. No caso da coccidiose, a ingestão de um remédio que interrompa o ciclo de reprodução do parasita costuma ser o suficiente.

Se o animal apresentar sintomas de desidratação, poderá ser necessário realizar um procedimento de reidratação para a recuperação de eletrólitos e da energia. Além disso, a hospitalização pode ser recomendada.

Realizar exames periódicos nos pets é essencial para diagnosticar possíveis doenças ainda em sua fase inicial. A desparasitação, principalmente em lares onde vivem mais de dois cães ou gatos, é extremamente necessário.

 

BLOG

como escovar os pelos do pet
27 de novembro de 2020
Como escovar os pelos dos pets

Com a chegada da Primavera, é normal os cães perderem mais pelos que o habitual. Nessa época, a pelagem...

novembro azul
5 de novembro de 2020
Novembro Azul: câncer de próstata nos pets

A campanha Novembro Azul Pet existe para conscientizar os tutores sobre a prevenção de tumores e anomalias que podem...

doação sangue animal
13 de junho de 2020
Animais também podem doar sangue

Você sabia que os pets também pode ajudar a salvar vidas doando sangue? A atitude nobre ainda é pouco...