Consultório Seminário: Av. Nossa Sra Aparecida,661 | (41) 3057-9443 Clínica 24h: R. Rockefeller, 566 | (41) 3333-7226
Emergência 24h (41) 3044-9301
Cachorro pega coronavírus?
13 de abril de 2020
cachorro pega coronavírus

Será que os cachorros pegam coronavírus? A Organização Mundial de Saúde (OMS) garante: até o momento não há nenhuma comprovação que os animais de estimação, como cães e gatos, contraiam ou transmitam a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A pandemia, que dá margem às informações falsas e disseminação de boatos, levou a Guarda Nacional Republicana de Portugal, a fazer um apelo: não abandonem os animais.

Início do boato

As notícias falsas surgiram após um cão em Hong Kong ser colocado em quarentena por testar positivo para o Covid-19. Na realidade, o animal de Hong Kong teve um resultado ‘positivo fraco’, sendo, assim, um caso isolado. “Não há provas que o cachorro esteja infectado pelo coronavírus. Como a sua tutora tem a doença, é muito provável que o que foi encontrado na saliva do animal seja resultado de seu contato próximo com ela e não uma infecção completa, com replicação e transmissão do vírus”, afirma a gerente de programas veterinários, Rosângela Ribeiro, do World Animal Protection. 

Cuidados 

Ainda assim, os pets também devem ser protegidos em tempos de restrição social e aumento no número de casos entre humanos. A blogueira fitness Gabriela Pugliesi e o cantor Di Ferrero, ambos em quarentena por conta do novo coronavírus, postaram fotos em suas redes sociais fazendo carinho em seus pets, o que não é recomendado pela Organização Mundial de Saúde. É através da aspersão do vírus do ambiente, de espirros, e secreção em mãos, que os peludos acabam tendo contato e, uma vez em seus pelos, eles podem se lamber e ingerir o vírus. “Os tutores com sintomas da doença ou que estejam com Covid-19 devem se manter isolados de seus pets. Apesar de cães e gatos não adoecerem com o novo coronavírus, eles se tornam uma forma de carrear a doença nos pelos e, inclusive, em suas vias respiratórias”, explica Alexandra Justino, médica veterinária da Clínica Vet Produtor.

Os passeios em locais com aglomeração, como parques, devem ser evitados. “A orientação é restrição social. Então o melhor é evitar os passeios e o contato das pessoas com os pets. Não permita que toquem ou façam carinho no seu amigo”, afirma Alexandra.

Coronavírus em animais é diferente e não tem a ver com o Covid-19

É importante saber que existe o coronavírus canino que, por sua vez, não afeta os humanos e sim os cães com até seis semanas de vida. Existe o coronavírus tipo I e II, que causam uma enfermidade leve e autolimitante. Nos gatos, a contaminação é diferente. “O coronavírus felino pode causar doença grave nesta espécie. Ambos, apesar de pertencerem à família do coronavírus, são diferentes do Covid-19, e não afetam os humanos. Assim como o novo coronavírus, até o momento, é considerado humano-específico”, explica Alexandra Justino. 

O abandono de animais é crime e está previsto no artigo 32 da lei 9.605/98. A pena é de três meses a um ano de detenção e multa. Se houver morte do animal a pena é aumentada em um sexto a um terço. Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) apontam que existem cerca de 30 milhões de animais abandonados nas ruas no Brasil, destes 20 milhões são cachorros e 10 milhões são gatos.

BLOG

como limpar tartaro cachorro
22 de maio de 2020
Limpeza de tártaro: quando visitar o veterinário?

Você sabia que 80% dos cães com mais de 05 anos de idade sofrem com o acúmulo de tártaro?...

14 de maio de 2020
Comportamento dos pets pode alterar na quarentena

Com a pandemia de Covid-19, muitos tutores passaram a trabalhar em casa. E isso alterou o comportamento de muitos pets. Tem alguém “causando”...

mãe de pet
8 de maio de 2020
Conexão entre tutoras e pets é como a de mãe e filho

Há quem diga que mãe de pet não é mãe. Mas a ciência prova o contrário. Um estudo desenvolvido...